[CURITIBA] Círculo de estudos Libertários: sessão de estudo, e discussão da (auto) gestão do espaço

O Círculo de Estudos Libertários chama para as suas já tradicionais reuniões  nas manhãs dos últimos domingos do mês.

Nesta sessão daremos continuidade ao programa de estudo da FARJ/OASL com o módulo 5.

Baixe aqui: http://anarquismosp.org/portal/images/stories/ArquivoFasp/docs/programa_de_formacao/modulo_05.pdf Ou na Fotocopiadora da Reitoria, pasta CEL, Rua Amintas de Barros.

Em pauta, a pedido dxs participantes e visto como necessidade também pelos membros do CALC a (re) organização do espaço do CEL.

Quando: Domingo, 30 de setembro, a partir das 09:30h

Onde: Rua Presidente Faria, Pensionato Novo Lr.

[CABN] Jornal Palavras de Luta

Retirado de : http://www.cabn.libertar.org/?p=555

O jornal Palavras de Luta foi (re)lançado na comemoração do primeiro aniversário do CABN. O informativo passa a ser um novo veículo de propaganda do coletivo, através dele buscamos informar os caminhos das lutas sociais nas cidades onde nossa militância atua e propagandear as produções teóricas em torno do anarquismo.

Confira a terceira edição:
http://www.cabn.libertar.org/wp-content/uploads/2012/09/Palavras-de-Luta-03-1.pdf

Saudação ao Coletivo Anarquista Bandeira Negra

Companheiros e companheiras, de classe e ideal, aos que aqui se encontram, e especialmente a militância do Coletivo Anarquista Bandeira Negra de Santa Catarina (CABN). É com muito respeito, admiração e felicidade que saudamos o primeiro aniversário da nossa organização irmã.É também com humildade e muito trabalho por fazer, que sentamos hoje lado a lado com os companheiros e companheiras da Federação Anarquista Gaúcha (FAG) e do CABN, para conversarmos e saudarmos os esforços da jovem militância local.

Integramos uma organização que tem apenas dois anos de vida, o Coletivo Anarquista Luta de Classe (CALC), mas que tal como as organizações citadas, se soma aos esforços anônimos de milhares de explorados que, por estas bandas, resistem e lutam a mais de 500 anos contra o sistema de dominação capitalista e por uma outra sociedade, queremos socialista e libertária.

Reconhecemos e sentimos que somos parte desta mesma história de lutas, que no ano de 1864, com a criação da Associação Internacional dos Trabalhadores por obra dos proletários europeus, ganha um incremento, isto é, passa a contar também com a perspectiva anarquista de luta e proposta política. De lá para cá muita coisa foi realizada, sequer temos condições de rememorar aqui, mas muitas lutas ainda acontecerão e precisarão ser tocadas pelos explorados e suas organizações políticas e sociais.

É neste sentido que saudamos esse esforço, de constituir organizações políticas anarquistas locais, e essa jovem, pequena, mas não menos combativa força militante, que agora se enlaça a história de luta e resistência dos trabalhadores.

Não poderíamos deixar de saudar rapidamente as três organizações que, de certa forma, animaram o trabalho dos companheiros e companheiras de Santa Catarina e do Paraná. A Federação Anarquista do Rio de Janeiro (FARJ), pelo trabalho empreendido por sua Rede de Apoio de 2008 para cá, a FAG, também por seu apoio incessante e consistente, a Federação Anarquista Uruguaia (FAU), pela sua história e referência para os libertários da América – Latina.

Vida longa ao Coletivo Anarquista Bandeira Negra!

Ética, compromisso e liberdade.

Viva a Coordenação Anarquista Brasileira (CAB)!

Coletivo Anarquista Luta de Classe, 1 de setembro de 2012.

[CABN] Evento de 1 ano: “Anarquismo e Organização: a proposta da Coordenação Anarquista Brasileira”

Contaremos também com a participação do Coletivo Anarquista Luta de Classe (CALC/PR), e da Federação Anarquista Gaúcha (FAG/RS).

A mesa acontecerá no dia 1º de setembro (sábado), às 16h, no Centro de Direitos Humanos Maria da Graça Bráz, em Joinville/SC. O CDH fica na rua Dr. Plácido Olímpio de Oliveira, n.660, bairro Bucarein.

O evento também será transmitido ao vivo pelo site http://cabn.libertar.org.

O evento também contará com a banca de livros da Livraria 36!

A Livraria 36 pretende por meio de diferentes literaturas propagar as ideias e práticas libertárias para estimular a transformação radical da sociedade.