[FAG] (Greve dos rodoviários) Fortalecer a resistência para arrancar as reivindicações cortando o lucro dos patrões!

Retirado de: http://www.federacaoanarquistagaucha.org/?p=273

1743377_1436049493299449_1999953248_n

Assembléia dos rodoviários

 

Completaram duas semanas da greve dos rodoviários e neste momento estamos diante de um aumento do ataque dos patrões e seus aliados: a grande mídia, a prefeitura e o judiciário. Ao longo desses dias os companheiros vivenciaram a perseguição patronal através das ameaças, do corte do ponto e da suspensão do plano de saúde. Apesar das dificuldades, os piquetes continuaram firmes fazendo cumprir a decisão soberana da assembléia em manter a greve. Diante desse contexto, é importante fazermos uma avaliação do atual momento em que se encontra essa luta para superar os desafios que o inimigo de classe nos impõe.

O papel dos meios de comunicação na defesa dos patrões!

Ao longo dessa última semana, as notícias sobre a greve que foram veiculadas tanto na televisão, quanto no rádio ou no jornal, não tiveram como fonte principal o rodoviário grevista  Ou seja, muitos falaram e opinaram sobre a greve, porém muito pouco a mídia entrevistou o comando de greve e menos ainda aqueles que estavam à frente dos piquetes. Coincidentemente, nos programas e nas entrevistas as fontes eram técnicos, “especialistas”, vereadores e burocratas. Pra resumir, o efeito intencional que se quis produzir com isso foi o de não dar visibilidade para os protagonistas da greve e as suas razões, pois a mobilização está sob o controle da base e propagar isso seria multiplicar a luta.

Na véspera da última assembléia a fábrica de mentiras chamada RB$ plantava a notícia de que haviam rodoviários querendo voltar ao trabalho, semeando discórdia na base da categoria para enfraquecer a greve. A mesma linha editorial foi repetida diariamente onde a mídia burguesa conspirou com a patronal para tentar produzir efeito de verdade e minar o movimento. Por outro lado, pouquíssima ênfase foi dada ao conteúdo do relatório do Tribunal de Contas do Estado que expõe o verdadeiro sistema de privilégios onde é nítido o favorecimento das empresas que lucram há décadas no transporte público da capital às custas das tarifas abusivas, do arrocho salarial dos rodoviários e intensas jornadas de trabalho com banco de horas.

Hoje, os trabalhadores rodoviários além de receberem péssimos salários, são explorados também por uma estressante jornada de trabalho e pelo banco de horas que os deixa refém dos patrões na medida em que impede o trabalhador de controlar sua jornada de trabalho, sendo obrigado a mudar seus horários, fazer horas extras e comprometer sua folga a favor dos patrões sanguessugas. Nada disso é considerado pela RB$ e nunca será, pois são porta-vozes de nossos inimigos de classe.

O papel da justiça na sociedade de classes.

A decisão da última sexta tomada pelo Juiz do Trabalho é mais uma favorável aos patrões. Na prática, proíbe os piquetes a partir de segunda-feira e dá precedente para o uso da força policial. Na verdade, não é a primeira e nem será a última vez em que a “justiça” se posicionará contra os trabalhadores que lutam pelos seus direitos. A própria greve é considerada ilegal pelos de cima (as classes dominantes), mas isso tampouco foi fator capaz de impedir que, de forma legítima, os rodoviários aprovassem a greve por unanimidade.

A forma de fazer justiça, para os debaixo (o povo oprimido), é através da ação direta expressada hoje nos piquetes nas garagens e na tomada das ruas pelas lutas em defesa do transporte público. É aí que reside a força capaz de virar o jogo e colocar em xeque os interesses dominantes. Apenas pra tomar como exemplo, foi a força das ruas das dezenas de milhares de lutadores que ao longo do ano fez a pauta do transporte avançar pela condução do Bloco de Lutas e não pelo conchavo dos gabinetes. Apesar das perseguições e das medidas repressivas por parte dos patrões e governos, é a unidade e a coesão do movimento que tem garantido algumas conquistas importantes. Portanto, não podemos nos intimidar diante dos fatos, pois no patamar em que estamos nessa luta é mais do que necessário a firmeza na defesa das nossas convicções.

A pelegada convoca a imprensa para reafirmar sua obediência aos patrões e polemizar contra a greve.

Na última sexta-feira, a direção pelega do sindicato ao lado da Força Sindical convocou uma coletiva de imprensa que tinha por objetivo prestar contas aos patrões sobre o papel obediente do sindicato e defender o fim da greve. A atitude do sindicato ocorreu à revelia do comando de greve chegando inclusive a disparar acusações contra esses companheiros eleitos em assembléia. Essa foi uma demonstração desesperada de uma direção sem nenhuma legitimidade na categoria, mas que tirou proveito da circunstância para destilar veneno e ódio propagado pela mídia contra as forças de esquerda, sindicatos solidários à greve e o Bloco de Lutas. Mais uma vez, a conspiração patronal e midiática tentando fragmentar a luta dos trabalhadores usando de um discurso supostamente apolítico ventilado pelo sindicado, mas que tem o seu presidente como vereador pelo PMDB no município de Alvorada e a Força Sindical que é uma histórica aliada de governos e entidades patronais.

Solidariedade, esse é o nosso dever! Unificar as lutas!

1781997_801733449844181_644460823_n

Assembléia dos trabalhadores rodoviários da Carris

Neste momento em que há uma reação conservadora envolvendo os patrões, a mídia, os pelegos e a justiça burguesa, a solidariedade de classe com a greve dos rodoviários deve ser pauta prioritária do conjunto da esquerda do movimento sindical e popular combativo. Respeitada a decisão soberana da assembléia, é mais do que fundamental fortalecer os piquetes nas garagens e medidas de apoio a greve como panfletagens nas vilas, organização de atos públicos como os recentemente organizados pelo Bloco de Lutas e todo tipo de medida que estiver ao alcance.

Essas duas semanas de conflito deflagrado contra patronal do transporte, deixou evidente os interesses conservadores da classe dominante bastante influente nas decisões não só econômicas, mas também políticas da cidade. É por isso que as urgências reivindicadas pelos rodoviários e pelo Bloco de Lutas não cabem nesse modelo de transporte e tampouco serão fruto de um voto nas urnas. Para fazer valer de forma integral a pauta reivindicada por ambos os setores o modelo é de um transporte 100% público sob controle dos trabalhadores e usuários. Que os ricos paguem a conta!

Como medida de luta, é hora do movimento sindical colocar generosamente suas forças na defesa intransigente do direito de greve. Está na ordem do dia também a unificação dos distintos movimentos de greve que estão em luta na cidade, a exemplo do estado de greve dos municipários da área da saúde e trabalhadores dos correios, pois é com unidade pela base que se fortalecem as lutas das distintas categorias para enfrentar os patrões e governos. Nossas lutas devem ir muito além de nossas categorias e reivindicações pontuais, transformando-se em uma verdadeira luta de classe, dos trabalhadores e oprimidos como um todo. Se os patrões e governantes se unificam em suas associações e juntos nos atacam, pela grande mídia, com retirada de direitos, entre outras formas, nos resta também nos unificarmos para resistir e contra-golpear esses parasitas que se enriquecem com nosso suor.

Não se intimidar! Não se desmobilizar! Rodear de solidariedade os que lutam!

Por aumento salarial sem aumento nas tarifas! Redução da jornada de trabalho para 6h e fim do banco de horas!

Avançar nossos direitos cortando o lucro dos patrões!

Toda solidariedade a greve dos rodoviários!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s