[FAG] Uma escalada repressiva sem disfarces!

Retirado de: http://www.federacaoanarquistagaucha.org/?p=324

Conselho Federal da FAG – 16/03/2014

mcp-1911

Na manhã de sexta-feira, dia 14/03, a esquerda porto-alegrense novamente amanheceu sobre uma intensa investida do aparelho repressivo do governo do Estado em conluio com a RB$ e seus plantadores de factóides de plantão. Na manhã desta sexta a Polícia Civil indiciou sete companheiros do Bloco de Lutas como conseqüência do inquérito aberto no 1. de Outubro do ano passado, quando a mesma invadiu o espaço de nossa organização, o Ateneu Libertário, o Espaço Cultural Libertário Moinho Negro, o Assentamento Urbano Utopia e Luta, além de residências de militantes do PSTU e do PSOL. Esse inquérito buscava investigar casos de “depredações e saques” nas jornadas de junho.

Como era de se esperar, as acusações do inquérito, para além de absurdas e ridículas, refletem a determinação com que jogam juntos o Governo Tarso/PT, os oligopólios da imprensa, com especial destaque à RB$ e setores empresarias como a máfia do transporte, para quebrar e silenciar, seja como for, as expressões de luta e resistência que com vigor começaram a ganhar a cidade e o país desde o último ano. Os sete companheiros que hoje são alçados como bodes expiatórios respondem pelos “crimes” de “posse e emprego de explosivos, furto qualificado, dano simples e qualificado, lesão corporal e constituição de milícia privada.” 

15240092

A montagem de um factóide que procura criar um espantalho no afã de semear o pânico e o ódio entre a população contra as lutas que se desenvolvem na cidade foi elaborada minuciosamente pelos algozes de turno de forma a concluir as acusações com uma grande catarse: “constituição de milícia privada”. Com esse arsenal contra as lutas sociais o “progressista” governo Tarso/PT pretende inaugurar no plano jurídico a nefasta portaria do Ministério da Defesa de “Garantia da Lei e da Ordem”, encaminhada pelo também “progressista” governo Dilma/PT. 

No entanto, cabe ressaltarmos que essa investida vai muito além do indiciamento momentâneo destes companheiros e da então investida do 1 de Outubro. Trata-se de uma ampla conspiração, rigorosamente planejada nas salas de redação da RB$ e em menor grau dos demais veículos do oligopólio da comunicação em conjunto com o aparelho repressivo. Os vizinhos da Avenida Ipiranga são colaboradores natos há mais de 50 anos! Assim como na então ditadura civil-militar, nos atuais dias de democracia burguesa operam em conjunto como um elemento de choque do sistema de dominação capitalista, perseguindo e montando factóides contra militantes sociais diuturnamente.

1782104_241611619354470_612057703_n

Ali, entre algumas quadras da Avenida Ipiranga com a Érico Verissimo e João Pessoa está o ninho das serpentes, dos saudosistas de seus áureos tempos de ditadura de segurança nacional, onde a política era um assunto para técnicos “bem qualificados”, onde trabalhador deveria trabalhar e estudante estudar! Buscam hoje, estas mesmas serpentes, comemorar em bom estilo os 50 anos de sua façanha histórica com o atual inquérito e com o que pretendem fazer vir diante do mesmo.

A notícia do indiciamento dos 07 companheiros foi apontada na manhã de sexta com grande entusiasmo pela Zero Hora/RB$ através de Carlos Rollsing, Carlos Wagner e Humberto Trezzi “jornalistas” que de forma sistemática buscam forjar consensos e pavimentar o caminho para uma ferrenha fuzilaria repressiva contra os lutadores sociais. Mais tarde a notícia era veiculada no Jornal Nacional da Rede Globo, onde os nomes completos dos companheiros indiciados eram citados. Ao longo de 2013, em meio as intensas jornadas de luta que, com altos e baixos, seguiram com firmeza exemplar por todo o ano, tendo sua feliz procedência até os dias atuais, estes e outros “jornalistas”, plantaram e replantaram factóides à exaustão nas páginas do aparelho ideológico que é Zero Hora.

Rollsing, o grande dirigente do trio, chegou a afirmar em matéria assinada no 14/06/2013 que os “atos de violência” estavam “liderados por anarquistas com traços sociopatas[1]” para cinco dias depois, 19/06, afirmar que “grupos de anarquistas internacionais estão orientando os líderes do movimento em Porto Alegre a adotar táticas de guerrilha[2]”. Nenhuma linha sobre as chuvas de bombas de gás, efeito moral, de pessoas sendo arrastadas pelos cabelos nas ruas pela cavalaria da Brigada, das torturas feitas nos camburões dentre outras fartas denúncias amplamente documentadas e difundidas na internet por parte deste “rigoroso jornalista investigativo”. No dia seguinte, 20/06, algumas horas antes do ato fortemente reprimido pela BM na Avenida Ipiranga para defender o solo sagrado da RB$, nosso local público, o Ateneu Libertário, era arrombado e pilhado por agentes da Polícia Civil e da Brigada Militar sem nenhum mandado judicial. Na incursão, aprenderam parte expressiva de nossa biblioteca junto ao cadastro de seus sócios (nunca é demais recordar os traços facínoras da então empreitada) que, posteriormente foram apresentados pelo chefe da Polícia Civil Randolfe Vieira Jr como provas de crime “aprendemos vasta literatura anarquista” afirmava orgulhosamente o delegado. Como sequência da provocação, posteriormente a Polícia civil devolveu 3 exemplares de dezenas roubados, na casa de um companheiro como forma de intimidação pessoal. Além disso, também aprenderam tintas e solventes utilizados para a diluição das mesmas, as quais utilizamos para pintura de faixas e de nosso local, apresentando-os como “artefato explosivo”.A conspiração das páginas de Zero Hora atingia sua meta!

1622826_249628858552746_286024876_n

Uma semana depois, Trezzi ocupou as páginas para perguntar e responder: “Quem são os anarquistas[3]?”, com o direito a entrevista de um personagem imaginário que conclui a mesma afirmando ao “entrevistador”: “Um dia tu vai ser degolado, rapaz.” Resgatando a intervenção final no ato político convocado por nossa organização após a incursão do 1 de outubro “Naquela pérola da página 11, dia 29 de julho, em Zero Hora o Sr. Humberto Trezzi chamou uma manchete para contar quem são os anarquistas, fez um parágrafo sorteando chavões achados em vista grossa pelo facebook, a Wikipédia ou a busca do Google e logo tornou ao seu lugar de ofício nas crônicas policiais. A matéria estava premiada com o factóide de uma entrevista com “militante anônimo”, uma ode a estupidez de fazer inveja as piores e mais escabrosas redações de Veja.” Mais adiante afirmávamos “francamente não quis falar de anarquismo, tampouco teria essa liberdade de imprensa se assim o quisesse, quis falar de polícia, convocar a fuzilaria conservadora e arranjou espantalhos para assustar os protestos, ao gosto da política do grupo RBS[4].”

Como estes, muitos foram os factóides plantados nas redações de RB$ no intuito de atiçar a repressão como foi o caso de Rosane de Oliveira acusando explicitamente os 03 companheiros professores presos às vésperas da incursão do 1 de Outubro em uma grotesca montagem policial para responsabilizá-los pela depredação do museu Júlio de Castilhos ao final de um ato[5], assim como da matéria que expôs suas respectivas fotos[6]. Mais recentemente tivemos seu veterano Paulo Sant’Ana disparando ódio contra os rodoviários ao chamá-los de canalhas[7], até porque, vejam só, a greve da categoria dificultava a locomoção de sua empregada doméstica para garantir a limpeza de sua Casa Grande! Realmente um grande drama, “um lamento profundo que percorreu a alma” deste nobre senhor[8].

1506574_1468744670015718_1392510732_n

Pouco após a histórica e digna greve dos rodoviários o mesmo trio que divulgou/comemorou o indiciamento dos companheiros do Bloco de Lutas plantava um novo factóide, dessa vez afirmando que “líderes de grupos radicais, que teriam contatado patrões do tráfico dos bairros Bom Jesus, Cruzeiro e Vila Conceição. A proposta seria de que jovens dessas regiões fossem enviados aos protestos, com a promessa de ter liberdade para saquear e furtar.” Em meio a matéria reaparece um senhor chamado Gilberto Thums, procurador de justiça e professor da Faculdade Escola Superior do Ministério Público que afirma estar convicto de que as investigações caminham para “comprovar vínculos que até agora eram só suspeita[9].” Thums é o mesmo que durante o Governo Yeda Crusius/PSDB , à frente do Ministério Público fez o possível e o impossível para colocar o MST na ilegalidade no Estado[10]. Hoje, assume na surdina a conspiração contra o Bloco de Lutas. Ao final da matéria na edição impressa (não se encontra na virtual) o brinde é uma cronologia sobre “a escalada de violência” onde dentre diversos acontecimentos citam o 20/06 afirmando “Polícia Civil, em conjunto com BM, fez buscas na sede da Federação Anarquista Gaúcha. O lugar guardava materiais utilizados em confrontos. Foram aprendidos equipamentos de pichação, tintas e produtos inflamáveis.” A insinuação ao leitor é clara: estes aqui são os “radicais”!

Exemplos como estes, caracterizam a história deste famigerado meio de desinformação, a lista de factóides com pretensões de verdade dos aprendizes de Joseph Goebbels vai ao infinito.

1506700_1464383483785170_1964841295_n

É na esteira desta ampla campanha com vistas a forjar um consenso e impor uma ordem marcada pela pasmaceira de um povo obediente frente aos desmandos e abusos dos de cima, de garantir uma “esquerda” domesticada ao calendário eleitoral, de transformar os atos em meras manifestações cívicas com propósitos conservadores, que temos o indiciamento de nossos companheiros. Essa mesma campanha hoje se estende em todo o país, com uma intensa guerra psicológica que estes meios vem desatando contra a esquerda que resiste ao pacto social costurado pelo governo de turno em aliança com as classes dominantes e as burocracias de diversos movimentos sociais que cada dia mais vão perdendo o seu vigor para se assimilarem a meras ONGs.

A morte do cinegrafista Santiago Andrade em um estúpido acidente no Rio de Janeiro é o maior exemplo de como essa guerra psicológica vem sendo travada em escala nacional, sendo hoje o grande mote para se justificar a aprovação da famigerada lei antiterrorista com a qual pretendem impedir que os setores populares e a esquerda superem a trágica dispersão e desorganização que os caracterizaram nos últimos anos, abrindo um novo ciclo de lutas marcado por uma outra cultura política, que não esteja enraizada em ilusões institucionais, mas sim no protagonismo popular, na ação direta e trabalho de base de todos os dias.

Por estas campanhas pretendem dar a autorização para os indiciamentos e infiltrações que chegaram ao cúmulo de intimidar crianças como vimos por aqui, assim como o emprego das tropas “ninja” que protagonizaram um espetáculo grotesco em um ato que reivindicava o “Não vai ter copa!” no 22/02 em São Paulo; “ninjas” estes que já foram aclamados pelo governo Dilma/PT, quando estiveram reunidos o Governador Geraldo Alckmim (PSDB/SP) e seu Secretário de Segurança Pública Fernando Grella Vieira no Palácio do Planalto com o Ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, dos Esportes Aldo Rebelo e da Defesa Celso Amorim. Para tratar de exportar o “eficiente” modelo de repressão inovado pelos “tucanos da direita” os ministros “progressistas de esquerda” não perderam tempo e foram de imediato saudar a eficiente metodologia de seus primos. 

Em meio a esse clima de intensa guerra psicológica os atuais governos “progressistas” (estadual e federal) tomam carona de forma entusiasmada, fazendo assim uma dobradinha com os oligopólios da imprensa, os mesmos que de forma reiterada acusam de sabotá-los e criar um ambiente golpista.Enquanto a grande imprensa denuncia e planta factóides os governos Tarso e Dilma não vacilam em seguir o bonde e autorizar mandados de busca e apreensão, indiciamentos farsantes, infiltrações, intimidações a crianças, tropas ninja e tudo mais que seja necessário para garantir seu pacto social neo-desenvolvimentista e a sua comemoração a partir dos mega eventos, copa do mundo e olimpíadas. O fazem sem deixar de perder a oportunidade em opinar sobre os desafios da esquerda para a nova etapa, sobre o nefasto papel dos oligopólios de comunicação, e tantas outras análises que suas respectivas mentes criativas o permitem na busca de se criar uma cortina de fumaça sobre seu real caráter político e de classe. 

525372_512556785457735_1557154194_n

Frente a escalada repressiva que vem se acentuando a passos largos, cabe a nós, companheiros e companheiras da esquerda que não se rendeu ao pacto social e a mesquinharia dos cálculos eleitorais que visam condicionar o desenvolvimento das lutas à eleição de parlamentares, seguir firme e sem vacilações em nossa respectiva agenda de lutas. Não se intimidar, não se desmobilizar e rodear de solidariedade todos aqueles que lutam, sem o pernicioso e covarde sectarismo que pretende defender apenas os militantes de suas respectivas organizações e afirmar que não estão presentes “naquela confusão” é a tarefa que devemos assumir e nos atirar com todas as nossas energias.

Desmontar o espantalho da RB$ e do inquérito policial!

Basta de criminalização do protesto! Nenhum lutador social sem solidariedade!

Lutar e vencer fora das urnas! Com ação direta popular!

Sempre com os que lutam!

Federação Anarquista Gaúcha – FAG

[1]Carlos Rollsing: Uma causa que une grupos.http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/noticia/2013/06/carlos-rollsing-uma-causa-que-une-grupos-4169908.html

[2]Carlos Rollsing. Violência em protestos no Rio Grande do Sul preocupa o Palácio Piratini. http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/noticia/2013/06/violencia-em-protestos-no-rio-grande-do-sul-preocupa-o-palacio-piratini-4175283.html  

[3] “Estranhamente” a matéria não se encontra mais no site da Zero Hora, mas foi reproduzida alguns outros sites. Ver: Humberto Trezzi.http://www.defesanet.com.br/riots/noticia/11341/ANARQUISTAS—Nossa-bandeira-e-a-revolucao/

[4] FAG. http://www.federacaoanarquistagaucha.org/?p=78

[5] Rosane Oliveira. Vandalismo não combina com professores.http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2013/10/rosane-de-oliveira-vandalismo-nao-combina-com-professores-4287609.html

[6] Cid Martins, Guilherme Pulita e Jocimar Farina. Professores são indicados por vandalismo na catedral e em museu em protesto na Capital.http://wp.clicrbs.com.br/casodepolicia/2013/10/01/professores-sao-indiciados-por-vandalismo-na-catedral-e-em-museu-durante-protesto-na-capital/?topo=52,1,1,,171,77

[7] Paulo Sant’Ana. É uma greve canalha.http://videos.clicrbs.com.br/rs/zerohora/video/paulo-santana/2014/02/uma-greve-canalha-diz-santana/62600/

[8] Paulo Sant’Ana. Um milhão de dramas.http://videos.clicrbs.com.br/rs/zerohora/video/paulo-santana/2014/02/milhao-dramas-diz-santana/62252/

[9] Carlos Rollsing, Carlos Wagner e Humberto Trezzi. Radicais teriam aliciado criminosos para protestos de 2013 em Porto Alegre.http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2014/02/radicais-teriam-aliciado-criminosos-para-protestos-de-2013-em-porto-alegre-4420666.html

[10] Eduado Scolese. Conselho de promotores do RS pede fim do MST.http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2406200824.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s