Nota de Solidariedade à Ocupação da Reitoria da UEL

O dia 23 de Junho foi um dia histórico para o movimento estudantil de Londrina. Os estudantes da UEL (Universidade Estadual de Londrina) deliberaram pela continuidade da greve estudantil e ocuparam a Reitoria exigindo negociação com o Governo do Estado e Reitoria.

A Universidade Estadual de Londrina, assim como toda educação do Paraná, está sofrendo um intenso processo de precarização e sucateamento. Faltam professores e servidores, faltam políticas de acesso, assistência e permanência estudantil.

Em suas pautas, os estudantes exigem a não retaliação, perseguição e criminalização dos lutadores e lutadoras da UEL. Nunca esqueceremos que os estudantes da UEL já foram criminalizados durante a luta contra o PL da previdência. Depois do Massacre do dia 29 de Abril o até então Secretário de Segurança do Paraná procurou bodes expiatórios no movimento de luta e 4 estudantes da UEL foram detidos.

Veja em: https://anarquismopr.org/2015/05/09/nota-de-repudio-a-criminalizacao-do-coletivo-quebrando-muros-estudantes-da-uel-e-antifa-16/

O movimento luta pela nomeação imediata dos servidores e docentes concursados; pela contratação imediata do corpo de servidores necessários para o funcionamento do Restaurante Universitário (RU); almoço e jantar nos finais de semana e medidas de assistência estudantil até que as obras do RU sejam finalizadas.

Exigem a ampliação e o reajuste das bolsas permanências; a ampliação do Centro Estadual de Educação Infantil (CEEI) para que assim os filhos e filhas de pais e mães estudantes, servidores e professores possam estudar e a conclusão das obras da Clínica Odontológica da UEL, que servirá como campo de estágio e atendimento à comunidade.

Outra pauta do movimento é que seja feito o repasse integral da verba custeio da Universidade. O repasse deveria ser de R$ 34 milhões, que serviriam para custos como água, luz, limpeza e bolsa auxílio, mas foi suspenso pelo Governo do Estado desde o início do ano. Os estudantes da UEL exigem que o financiamento das universidades públicas seja feito com dinheiro público.

Sabemos que a tática do neoliberalismo é primeiro precarizar e sucatear os serviços públicos para depois apresentar como “única” saída a privatização. Mas entendemos que a única saída possível é a resistência e organização dos de baixo, que bravamente lutam contra a exploração e dominação da classe oprimida. Os estudantes da UEL estão dando exemplo de garra e o Coletivo Anarquista Luta de Classe oferece todo apoio à sua mobilização.

19007_503991703094201_1607080191254499945_n

Protesto não é crime!

Viva a ação direta dos e das estudantes!

A resistência é a vida, A submissão é a morte!

A nossa luta é todo dia, educação não é mercadoria!

cropped-calc_cmyk_01.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s