Todos os posts de CALC

Coletivo de anarquistas de Curitiba que defendem o anarquismo especifista.

[CURITIBA] 3° Encontro do Círculo de Estudos Libertários (29.04.2012)

O Círculo de Estudos Libertários (CEL) surgiu como espaço de estudo em janeiro de 2011, com o objetivo de debater “a atuação política, a teoria clássica e contemporânea do Anarquismo, (…) fortalecendo a perspectiva classista, autônoma, socialista e combativa das classes exploradas, em sua formação cultural e intelectual”. Com dois encontros por mês e textos lidos previamente por seus participantes, o grupo teve relativo sucesso no que se propunha a fazer, se tornando ainda “por tabela”, uma referência para os novos companheiros e companheiras interessados nas propostas do anarquismo organizado. A partir de 2012 o CEL tornou-se um espaço ligado ao Coletivo Anarquista Luta de Classe (CALC), continuando dessa forma, aberto a participação dos trabalhadores e trabalhadoras que queiram se debruçar sobre o estudo das lutas sociais e a participação dos socialistas libertários nas mesmas. Seguindo agora um programa definido de textos pretendemos melhorar a qualidade de nossos encontros, contribuindo também, para auxiliar a formação teórica da militância anarquista aqui na cidade de Curitiba (PR).

Onde? Rua Presidente Faria, 515.

Quando? 29.04.2012

Que horas? 10:30hs

Organização: Coletivo Anarquista Luta de Classe

 Próxima Discussão: Módulo 2 programa de Formação FARJ/OASL

Baixe aqui:

http://www.anarquismosp.org/portal/images/stories/ArquivoFasp/docs/programa_de_formacao/modulo_02.pdf

ou Fotocopie aqui: Amintas de Barros, 297. O texto esta na pasta do CEL.

[FAO-CAB] 10 anos do Fórum do Anarquismo Organizado

10 anos do Fórum do Anarquismo Organizado.

Rumo à Coordenação Anarquista Brasileira!

            No início de 2002 recomeçava de forma mais lúcida um processo de articulação nacional para o anarquismo organizado e com inserção social no Brasil. Há dez anos foi criado o Fórum do Anarquismo Organizado – FAO com o objetivo de articular grupos regionais e também lutar pela construção de uma organização anarquista brasileira dotada de projeto político comum. De lá pra cá conseguimos fazer avançar este processo com a consolidação de Organização Especificamente Anarquistas em alguns estados.

Modestamente contribuímos para colocar o anarquismo no terreno da luta de classes formando parte de importantes lutas na cidade e no campo com presença em diversos lugares no país. Atualmente, contando com a participação e incidência em mais de dez estados brasileiros, decidimos dar uma passo à frente no processo nacional com a criação da Coordenação Anarquista Brasileira (CAB). Não estamos criando uma mera sigla ou uma aparência sem correspondência com a realidade. Pelo contrário, decidimos pel

a coordenação de organizações anarquistas especifistas, pois necessitamos de uma organicidade que seja correspondente a nossa capacidade e necessidade de intervir na realidade brasileira com perspectivas de mudança em prol do projeto socialista e libertário.

Estaremos realizando neste ano de 2012 um Congresso Anarquista com delegações das organizações regionais que irão fundar a CAB e fazemos um convite às organizações anarquistas nacionais e internacionais para participarem das seguintes atividades na cidade do Rio de Janeiro:

 

9 de Junho – Debate sobre a Organização Específica Anarquista com os companheiros da Federação Anarquista Uruguaia e da Coordenação Anarquista Brasileira.

(inscrições: secfao@riseup.net)

10 de junho – Ato Público de lançamento da Coordenação Anarquista Brasileira

 

CRIAR UM POVO FORTE!

 

Declaração de Princípios e Intenções do FAO:

http://www.anarkismo.net/article/17346

 

Originalmente publicado em

http://cazp.wordpress.com/2012/03/26/10-anos-do-forum-do-anarquismo-organizado/

[FAO] Relato do Encontro de Formação do Fórum do Anarquismo Organizado – Região Sul

retirado de: http://www.cabn.libertar.org/?p=183

Nos dias 17 e 18 de março de 2012 aconteceu em Florianópolis/SC um encontro de formação da região sul do Fórum do Anarquismo Organizado (FAO), contando com a presença de cerca de 20 militantes de diversas localidades, organizados na Federação Anarquista Gaúcha (FAG), no Coletivo Anarquista Bandeira Negra (CABN) de Florianópolis, Joinville e do recente pró-núcleo Chapecó, e integrantes do Coletivo Anarquista Luta de Classe (CALC) e do Coletivo Quebrando Muros, ambos de Curitiba, além de um convidado da Organização Anarquista Socialismo Libertário (OASL), de São Paulo.

O encontro aconteceu na Escola Otília Cruz, no bairro Coloninha, local onde os moradores vêm travando uma luta contra o Governo Estadual, que fechou a escola em 2008 com o intuito de transformar o espaço em um reformatório. Para resistir à esse ataque de seu direito social à educação, os moradores organizados através da Associação de Moradores da Coloninha conseguiram ocupar o espaço e estão desde então gerindo o espaço com as suas próprias mãos, no intuito de frustrar os planos do governo que desejava transformar a escola em reformatório e da especulação imobiliária, que deseja negociar o terreno com o Estado, na luta para abrir novamente a escola. A comunidade mantém diversas oficinas no local, como bateria de samba mirim, futebol, judô, dança de salão, violão, entre outras, que têm o importante papel de agregar os moradores da região e dar uso ao local.

A formação discutiu o funcionamento interno da organização específica anarquista, seu processo de ingresso e formação, o estilo de trabalho do militante, a importância da estratégia e de um plano de trabalho que seja capaz de acirrar a luta de classes e caminhar rumo ao poder popular, através da autogestão e do federalismo das classes oprimidas em luta. O encontro também possibilitou a troca de experiências entre nossas frentes de atuação nas diversas cidades, o que nos permitiu pensar a articulação das lutas de nossas organizações regionalmente.

Seguimos pouco a pouco construindo o anarquismo organizado na região Sul e no Brasil, sem nos isolar das lutas populares ou nos sobrepôr a elas, mas participando ombro a ombro na construção de um povo forte, para alcançar a sociedade socialista e libertária.

Lutar, criar, poder popular!

Construir o FAO!


Fórum do Anarquismo Organizado

http://www.vermelhoenegro.org/


[CABN] Seminário – “Poder & Estado: Uma Visão Anarquista”

Retirado de: http://www.cabn.libertar.org/?p=155

O Círculo de Estudos Libertários inaugura as atividades de 2012 com o tema Poder & Estado: Uma Visão Anarquista, que contará com a participação de Felipe Corrêa (Organização Anarquista Socialismo Libertário-SP e Pós-graduando pela USP) e Leonardo Santos (Federação Anarquista Gaúcha e Professor de Sociologia pela UFFS).

Acompanhe o evento, com transmissão ao vivo aqui no nosso blog.

Aberto ao público em geral e à comunidade acadêmica, o evento visa promover um amplo debate para discutir conceitos e a relação entre poder, classe dominante e os contornos políticos da presença do Estado.

Local: Mini-Auditório do CFH-UFSC
Data: 16 de março (sexta)
Horário: 18h

Organização: Coletivo Anarquista Bandeira Negra e Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO).

Apoio: Estágio Interdisciplinar de Vivência-SC (EIV-SC) e PRAE-UFSC.

Até lá!

[CURITIBA] CEL – Círculo de Estudos Libertários 25.03.2012

No dia 25 de março de 2012, a partir das 10:30 hs  teremos nosso primeiro encontro de estudo.

O texto corresponde ao módulo I doi programa de formação FARJ/OASL:

Baixe aqui:

http://www.anarquismosp.org/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=641&Itemid=13

ou encontre disponível para cópia

Na Pasta do CEL na Fotocopiadora da Reitoria (Proximidades da Reitoria, Rua Amintas de Barros)

Onde:

Rua Presidente Faria, 515.
Organização:
Coletivo Anarquista Luta de Classe

[FAG] As mulheres anarquistas na luta de classes: ontem e hoje!!!

Retirado de : http://www.vermelhoenegro.co.cc/2012/03/as-mulheres-anarquistas-na-luta-de.html

Convidamos as companheiras e os companheiros para o bate-papo alusivo ao 8 de março, dia internacional da mulher, sobre a participação e protagonismo das mulheres anarquistas em diversos momentos históricos de luta e resistência das classes oprimidas.

Venha tomar um mate e conversar sobre nossa história!
Viva o 8 de março, classista e combativo!

[FAG] Nota em Resposta e de Repúdio à Zero Hora

Retirado de : http://anarkismo.net/article/22145

Nós da Federação Anarquista Gaúcha viemos a público em resposta a matéria veiculada no jornal Zero Hora de 29/02 sobre a luta pela revogação do aumento das passagens em Porto Alegre.

fag.jpg

Nós da Federação Anarquista Gaúcha viemos a público em resposta a matéria veiculada no jornal Zero Hora de 29/02 sobre a luta pela revogação do aumento das passagens em Porto Alegre. Enquanto participantes, em conjunto com outros coletivos, grupos, entidades sindicais e indivíduos, do movimento que vem se desenvolvendo desde o início de fevereiro, não podemos deixar passar mais uma tentativa de criminalização e difamação do protesto popular por parte deste veículo de “comunicação” do oligopólio da família Sirotsky, sustentado sobre mentiras e inúmeras confusões.

A matéria da ZH joga sujo ao aproveitar-se da participação de alguns partidos políticos no Bloco de Luta por um Transporte Público para associar a luta pela revogação do aumento das passagens com os interesses eleitoreiros de partidos como Psol e Pstu. O que a Zero Hora faz é tentar deslegitimar uma luta que vem sendo construída de forma independente, auto-organizada e unitária ao associar esta a uma suposta “ambição eleitoral dos partidos de extrema esquerda”. As diversas manifestações, desde seu início, tiveram em seu horizonte a revogação do aumento das passagens e a luta por outro modelo de transporte, de fato público, questionando mais um roubo à população de porto alegre por parte das empresas privadas de transporte e do poder “público” municipal.

Outra falácia desse veículo de comunicação da elite gaúcha é questionar a afirmação do movimento de que este não teria líderes ao afirmar que o militante do Movimento Juntos, vinculado ao Psol, Rodolfo Mohr, se destacaria como uma das principais figuras do movimento. Rodolfo Mohr, desde seu início foi apenas mais um participante do Bloco de Luta (e não Comitê tal como fala a ZH) e nunca foi autorizado a se colocar como porta-voz, representante ou dirigente das manifestações. Mais uma vez a tentativa é de associar a construção que até então vem de forma horizontal, coletiva e independente à figura de um dirigente partidário e consequentemente a agenda eleitoral de um ou outro partido. O Bloco de Luta por um Transporte Público não tem dirigentes, sejam estes de partido ou sem partido; possui definições coletivas que nos dão a direção a seguir.

O Bloco de Luta por um Transporte Público foi e continua sendo um movimento aberto à estudantes, trabalhadores, desempregados, sindicalistas, militantes ou não, partidários ou não que tem como objetivo único a revogação do aumento da passagem de Porto Alegre e a ampliação do debate sobre um outro modelo de transporte na cidade, público, gratuito e de qualidade. Nenhum partido ou sindicato está por detrás ou à frente do movimento, pois são apenas participantes subordinados às decisões coletivas das assembléias, assim como todos os demais.

A Federação Anarquista Gaúcha, organização política anarquista, por defender a independência e autonomia do Bloco de Luta pelo Transporte Público, denuncia o oportunismo da Zero Hora e sua tentativa de criminalização da luta, sua má fé tratar o movimento como sendo uma articulação partidária com interesses eleitorais e por cumprir o único papel que é o de fazer parte da estrutura de dominação desinformando e mentindo ao povo.

Seguiremos lutando e denunciando mais um ataque aos que ousam se levantar!
Pela revogação do aumento das passagens, pelo passe livre e na defesa de um transporte público e de qualidade!
Pela força das ruas e com o protagonismo popular, venceremos!

Federação Anarquista Gaúcha

 

[FAO-CAB] Solidariedade às famílias de Canaã!

Retirado de:  http://anarkismo.net/article/22096

Seguiremos de pé e vigilantes para que não ocorra desta vez a mesma injustiça presenciada em Pinheirinho.

canaacc83.gif

Manifestamos toda a nossa solidariedade às 300 famílias do assentamento Canaã que seguem resistindo pelo direito à moradia em Cuiabá – MT. Na última sexta-feira, dia 10 de fevereiro, desde que foi anunciada a ordem de reintegração de posse os moradores seguem organizados. Nossos companheiros do Rusga Libertária tem dado seu modesto e sincero apoio estando ombro a ombro com os que lutam nesse cotidiano de resistência popular. Seguiremos de pé e vigilantes para que não ocorra desta vez a mesma injustiça presenciada em Pinheirinho.

Afinal de contas, o suposto dono da área de Canaã e a juíza que expediu o mandato de reintegração de posse são os verdadeiros criminosos. De acordo com a própria defensoria pública do Estado do Mato Grosso, na documentação apresentada pelo empresário Armindo Sebba Filho as coordenadas geográficas não condizem com a localização da área. Além disso, a juíza Vandymara Galvão Ramos Paiva Zanolo possui um histórico corrupto ao se envolver no crime de enriquecimento ilícito no caso de contratação de servidor fantasma nos anos de 1996 e 1997.

Diante dos crimes do sistema seguiremos de pé!
Resista Canaã! Toda solidariedade aos que lutam!

Fórum do Anarquismo Organizado

[FARJ] LIBERA #152 (nov-dez 2011) já está disponível em nosso site!

Retirado de: http://anarkismo.net/article/22068

Edição de Novembro / Dezembro de 2011

O novo LIBERA #152 (nov-dez 2011) já está disponível em nosso site!

libera152.jpg


Libera #152

Edição de Novembro / Dezembro de 2011

N°152 do informativo da Federação Anarquista do Rio de Janeiro disponível na rede. Nesta edição, um editorial sobre o crescente consumo de venenos presentes nos alimentos e a contaminação dos trabalhadores do campo. O informativo traz também a resenha de um interessante livro lançado recentemente na Espanha, a respeito dos Comitês de Defesa da CNT em Barcelona (1933-1938). Além disso há uma análise crítica da questão da política de saúde indígena no Brasil.

Artigos

  • Veneno no prato do povo
  • Os Comits de Defesa da CNT em Barcelona (1933-1938)
  • Caos na Saúde Indígena: um crime burocrático?
  • Notícias Libertárias

Baixe o LIBERA # 152 no endereço: http://anarquismorj.files.wordpress.com/2012/02/libera_…2.pdf

 

Related Link: http://www.farj.org