Arquivo da tag: Não ta morto que peleia!

[FAG] (Vídeo) Alberto “Pocho” Mechoso por Juan Carlos Mechoso

Retirado de: http://www.federacaoanarquistagaucha.org/?p=156

“…a melhor e autentica maneira de recordar nossos companheiros é continuar a luta pelos ideais pelos quais caíram. Continuar sem claudicações, com a firmeza que exige um inimigo como o que temos em frente.

…O que vem não será fácil de enfrentar, mas o fácil quase sempre é o pior nesse caminho.”” Juan Carlos Mechoso.

pochomechoso

Nas próximas semanas nossa organização estará dando início aos trabalhos de seu VI Congresso. Escolhemos homenagear nessa instância o companheiro Alberto “Pocho” Mechoso.

Pocho foi um dos fundadores da nossa co-irmã Federação Anarquista Uruguaia (FAU) em meados da década de 1950. Operário da indústria frigorífica, militou sindicalmente em sua então recém fundada organização, através da Federação de Operários da Indústria da Carne, tendo participado ativamente do processo de unificação sindical no país que levou à formação da Convenção Nacional dos Trabalhadores (CNT) em 1966, ao lado de outros companheiros de FAU como Leon “el Loco” Duarte (operário da indústria da borracha/pneus) e Gerardo Gatti (operário gráfico).

Com o recrudescimento da repressão política no país em finais da década de 1960, que ilegaliza a FAU em 1967 junto a outras organizações, Pocho passou à clandestinidade e assumiu a tarefa de ser um dos responsáveis pelo desenvolvimento do aparelho armado da organização, posteriormente denominado de Organização Popular Revolucionária 33 Orientales (OPR-33), que desenvolveu inúmeros operativos armadas no país. O acionar da OPR-33 guardava uma considerável distância das concepções foquistas, adaptadas para uma realidade urbana pelos Tupamaros no Uruguai, defendendo um vínculo da luta armada com o desenvolvimento da radicalidade do movimento de massas e sua subordinação a um instrumento político (organização/partido), neste caso, a FAU. Nesse sentido, a OPR-33 protagonizou ações como seqüestros de dirigentes da patronal em meio a conflitos sindicais, operações de sabotagem, expropriações financeiras para financiar o desenvolvimento da organização e alimentar fundos de greve dentre outras.

DSCF4369

Preso em fins de 1972, Pocho conseguiu fugir do quartel de 5. Artilharia de Montevidéu após ter resistido a violentas seções de tortura que buscavam informações que pudessem desarticular o aparelho da organização, refuginado-se em seguida em Buenos Aires onde seguiu atuando junto a outros companheiros da FAU/OPR-33 com o objetivo de criar uma estrutura de “retaguarda” ao golpe de Estado que a organização sinalizava que era iminente e, ocorreu de fato em junho do seguinte ano.

Preso em 1976, quando do golpe na Argentina, Pocho passou pelo centro de detenção clandestino Automotores Orletti, junto a muitos outros companheiros da FAU e de outras organizações (Orletti cumpriu a infame tarefa de ser a principal prisão para onde eram enviados os muitos uruguaios que viviam clandestinos na Argentina), como os citados Leon Duarte e Gerardo Gatti, que, assim como Pocho foram desaparecidos pela sanguinária cooperação das ditaduras do Cone Sul, a Operação Condor.

92-3

Os restos mortais de Pocho foram identificados em 23 de maio de 2012 após terem sido encontrados junto a outros 06 militantes ao fundo de águas argentinas dentro de um tanque com cimento.

A firmeza de Pocho e de tantos outros companheiros(as) como Elena Quinteros, León Duarte, Gerardo Gatti, Idílio de León, Heber Nieto, frente a infâmia repressiva dos de cima é um exemplo de força e convicção ideológica que nada é capaz de dobrar.

p1010632

Concluímos estas linhas em homenagem a este inesquecível companheiro reproduzindo o vídeo gravado no Ateneo del Cerro, em Montevidéu do pronunciamento de seu irmão, Juan Carlos Mechoso, por ocasião da entrega de seus restos mortais. Também fundador e militante da FAU, Juan Carlos Mechoso passou toda a ditadura uruguaia (1973-1985) no cárcere, tendo se “atirado” no trabalho de reorganização da FAU assim que sai da prisão, onde segue militando nos dias de hoje.

Não ta morto que peleia!

Alberto “Pocho” Mechoso: Presente!

Arriba los que luchan!

Federação Anarquista Gaúcha – FAG

Publicação FAU sobre Alberto “Pocho” Mechoso

http://federacionanarquistauruguaya.com.uy/wp-content/uploads/2012/07/Ediciones-Recortes-Compa%C3%B1ero-Alberto-Mechoso.pdf

 

[FAG] 17 anos de Luta pelo Socialismo e pela Liberdade!

Retirado de: http://vermelhoenegro.org/blog/2012/11/19/17-anos-de-luta-pelo-socialismo-e-pela-liberdade/

A Federação Anarquista Gaúcha comemorou 17 anos no dia de ontem, 18 de Novembro. Fundada em 1995 por jovens libertários que optaram pelo anarquismo especifista como forma de reinserir o anarquismo no cotidiano de luta e organização das classes oprimidas, a FAG vem trilhando um caminho que se constrói a várias mãos no dia a dia da luta de classes. No trabalho modesto e muitas vezes silencioso de companheiros e companheiras, com seus erros e acertos, avanços e retrocessos, procuramos enquanto Organização Política Anarquista plantar sementes de organização dos oprimidos e de construção de Poder Popular.

Enquanto Organização de intenção revolucionária somos instrumento e ferramenta no desenvolvimento desse processo, o qual, acreditamos, necessita de participação, organização e protagonismo de amplos setores das classes oprimidas, pois ou a revolução é feita desde baixo, pelo povo mesmo, ou não é.

Por isso é que o Poder Popular é para nós, anarquistas organizados na FAG, elemento estratégico de um processo revolucionário de longo prazo. Poder que é produzido e reproduzido por um novo sujeito, uma Frente de Classes Oprimidas que organize e mobilize, desde seus próprios espaços de organização de classe (sindicatos, entidades estudantis, associações de produção, de moradia, movimentos sociais, etc.), desde já a nova sociedade que queremos construir. Um poder Federalista e Libertário que circule por toda a trama social dos de baixo e que destrua toda a relação de dominação na medida em que vá construindo seus próprios espaços de gestão dessa nova sociedade. Criar Poder Popular para construir revolução socialista e libertária que destrua desde baixo o sistema de dominação capitalista.

É nesse “espírito” que nós da Federação Anarquista Gaúcha seguimos rumo ao 18º ano de Organização em 2013, ano em que realizaremos nosso VI CONGRESSO GERAL para ajustar nossa análise da realidade em que vivemos e nossa estratégia enquanto Organização.

A todos(as) que somam esforços na construção da Anarquia, nossas saudações Socialistas e Libertárias!

Não tá morto quem luta e quem peleia!
Viva 17 anos de convicção e construção!
Viva a Anarquia!
Federação Anarquista Gaúcha

[FAG] 3ª Feira do Livro Anarquista de Porto Alegre

A Federação Anarquista Gaúcha participará novamente de mais uma Feira do Livro Anarquista em Porto Alegre. Iniciativa de diversos grupo e coletivos da cidade que já vai para sua 3ª edição, a Feira pretende ser um espaço de integração, troca de experiêcias e difusão de livros, publicações e de idéias.

Nesta edição faremos o lançamento de uma publicação que reune os documentos do 1º Congresso da Coordenação Anarquista Brasileira (CAB) realizado em Junho deste ano no marco dos 10 anos do Fórum do Anarquismo Organizado (FAO), mais as mensagens de algumas das Organizações que fazem parte da CAB.

Também estará disponível mais exemplares do documento Wellington Galarza e Malvina Tavares, fruto do esforço conjunto entre a FAG e a FAU na construção de ferramentas teóricas que nos ajudem a pensar a sociedade com cabeça própria.

Além de nossas publicações, a FAG participará no Domingo, 18 de Novembro, às 14:00 no PIER da Usina do Gasômetro de debate sobre os 10 anos do Anarquismo Especifista. Desde já convidamos todos e todas para participarem desse debate!

Não tá morto quem peleia!
E Viva a Anarquia!!!

Programação da 3ª FEIRA DO LIVRO ANARQUISTA DE PORTO ALEGRE